Exemplo de vida

 


Conheçam a linda história de Lina, Virgínia e Vinícius – Amor incondicional
“Olá pessoal, eu agora me chamo Lina! Amei o nome, mas não posso deixar meus novos donos saberem por que...ah...por puro charme...adoro vê-los me chamando fingindo que nem percebo que é comigo!
Bom, vim aqui para contar a vocês a minha história...
No dia 30 de julho deste ano vi um cara passando pela rua, ele me olhou com curiosidade mas se foi...ele não sabia o que tinha acontecido comigo...Passei o dia todo esperando ele voltar até que no início da noite ele estava lá!!Parecia cansado, mas mesmo assim parou e me olhou, creio que ele já fazia ideia de que eu não estava muito bem...Mas ele se foi...
No outro dia bem cedinho olha quem estava lá de novo, dessa vez ele parecia realmente intrigado, se aproximou e tentou me tocar, eu não pude deixar!!A dor era demais...Ele se a assustou e foi-se embora...A noite ele voltou e mais uma vez tentou me tocar, mas dessa vez eu deixei..percebi que era só um carinho...Naquele momento pude ter um vislumbre do que me esperava, um pouco de esperança...Mas ele se foi mais uma vez...
Mais um novo dia, mas um importante dia! O moço mais uma vez apareceu, me deu carinho e se foi...Esperei por ele o dia todo...ele se demoraria mais hoje...pq?Algumas horas a mais se passaram...Quando já não tinha mais esperança ele surgiu ao meu lado...Trazia consigo um copinho plástico cortado e uma garrafa d’água, matei minha sede naquele copinho!Se tivesse mais espaço bebia a garrafa inteira...nem sobrou espaço para o atum que ele me ofereceu...Quando já estava relaxando para uma soneca ele me pegou no colo e me colocou numa caixa de papelão!!Eu não gostei muito, tentei sair, estava com medo...mas no fundo eu sabia que ele tentava me ajudar...Fizemos um breve passeio, até que chegamos a casa da sua namorada...Ela me acolheu e ele se foi...fiquei 3 dias sem receber notícias suas...mas fui bem tratada por ela. Ela me deu uma caminha fofinha, cobertor, comida e água...Mas o melhor mesmo era o carinho!Chegava derramar de tanto carinho!Muito gostoso! Ela me levou ao médico, ele me examinou, me hidratou e tirou um raio x de meu corpinho...neste momento todos já percebiam que eu não consegui andar...mas o exame revelou o pior...meu quadril estava quebrado em dois lugares...minha perna estava praticamente solta...A moça carinhosa se entristeceu...pois o médico disse que nada poderia ser feito por aqui...somente esperar...Eu só teria chances melhores se fosse para a cidade grande, onde poderiam me ajudar de forma especializada...


Então, naquela semana mesmo os meus benfeitores me levaram para BH, após uma longa pesquisa e muitos telefonemas, a clínica Gato Leão Dourado nos recebeu. Fiquei internada por 45 dias, passei por vários procedimentos...A cirurgia para reconstrução do quadril já não era mais indicada devido ao tempo de lesão maior que 10 dias...então o tratamento consistia em repouso, hidratação, nutrição, acupuntura e muito carinho! Nesse tempo, descobriram que eu tinha Felv. É um vírus que pode causar várias doenças em gatos, principalmente linfomas...a expectativa de vida cai para 4 anos. Não tem cura, sendo necessário muito cuidado...Enfim, se passaram 45 dias, até que meu pai adotivo veio me buscar...Sim, me atrevo a chamá-lo de pai! Daí, fui para a casa da minha mãe sob muitas recomendações! Fui acolhida e me senti em casa! No início ela não me deixava fazer muita coisa, por excesso de cuidados, mas logo logo eu já tava no seu colo, na sua cama, sempre do seu lado em qualquer lugar da casa que ela estivesse...Sempre pertinho...era tão quentinho...
Se passaram 6 semanas, estava tudo indo muito bem...até que uma complicação já esperada apareceu!Eu comecei a constipar, pois o meu quadril ficou muito estreito, obstruindo o trânsito intestinal...com isso eu tive que passar por vários enemas...tão dolorosos, fiquei muito estressada...e após 20 dias e 5 enemas sem resolução do quadro meus pais resolveram me levar para BH, pois havia uma alternativa: cirurgia de abertura do quadril. Fui recebida na clínica GLD com muito muito carinho... estavam com saudades minhas...e eu deles!Onde estou até hoje...nesse período de 30 dias, fiz exames, acupuntura para relaxar e me preparar para a cirurgia...Fiquei bem na maioria do tempo...meu pais vieram me visitar duas vezes! Meu coração partia ao vê-los indo embora, e o deles também! Cheguei a ouví-los dizer que parecia que seria a última vez, eles estávam sentindo, assim como eu...Até que ontem aconteceu algo...Me senti fraca, vomitei e senti muito frio, ainda sinto, não consigo me levantar...sei que estão cuidando de mim e que tudo vai ficar bem...Fui tão feliz nesses 4 meses! Sinto falta dos meus pais, mas sei que eles estão pensando em mim...A myrian está aqui comigo e sei que tudo vai ficar bem...Neste momento sinto que vou dormir, meus olhos estão tão pesados...Me despeço de todos vocês que de alguma forma estiveram comigo. Saibam que me fizeram muito feliz! Agora estou indo para o meu lugar, pois sou um anjo! E anjos devem ficar no céu...Meu ron ron para todos vc´s...FIM”
“Esta é a história da nossa Doce Lina. Não haverá outra oportunidade como essa em nossas vidas! Agradecemos aos céus por ter nos proporcionado momentos tão inesquecíveis como esses. Ela sempre será uma recordação feliz e doce em nossas vidas. Muitas Saudades”

Esse lindo e jovem casal é um exemplo de vida, de doação e de amor aos gatos. A cada vez que releio esse relato carinhoso e verdadeiro as lágrimas transbordam dos meus olhos, a saudade bate e a vida acena com a certeza de que há gente boa nesse mundo.
Pois foi assim que conhecemos Virgínia e Vinícius. Tamanha doação: preocupação com uma gata faminta e com sede na rua e que não se movia... desprendimento de viajar mais de 300 km com aquele ser indefeso recém conhecido... seriedade e compromisso de buscar o atendimento mais apropriado para aquela gatinha... amor e dedicação incondicional ao seguir em frente com todos os recursos possíveis, apesar da notícia de se tratar de um felino positivo para o vírus da leucemia felina... carinho farto e durante todo o convívio. Vocês são nota 1000 e têm toda a nossa admiração. Adoramos conviver com a Lina durante esse pequeno, porém valioso período. Ouvir seu ronronar, ver suas reviradas de barriga para cima, seu olhar meigo e sábio, que mesmo no último momento me dizia que estava tudo bem. Muito obrigado por ter nos propiciado a honra de conhecer e conviver com você três! Ah, Virgínia, ela ronronou antes de ir para o céu...    

 

 


rodape